Educação contemporânea: inovação a serviço do empoderamento e empreendedorismo

A evolução tecnológica tem muito a dizer sobre transmutação que a sociedade vem sofrendo. Situações banais do dia a dia simplesmente não encontram mais soluções sem que tenhamos em mãos celulares, tablets ou notebooks, que por sua vez são cada vez mais engenhosos e cheios de inteligência. E se faltava falar, agora já falam, “entendem“ e até interagem por meio dos seus sinuosos algoritmos. Pessoas também tiveram que se adaptar e os velhos moldes perderam espaço para a educação moderna.

No sistema educacional não é uma, nem são duas tendências que estão enraizadas nas salas de aula (e fora dela). É um conjunto de objetos, pensamento e dispositivos que está revolucionando as práticas contemporâneas do ensino. Educação e inovação caminham juntas nesse slackline de recursos da chamado Educação 4.0 e seus desafios da nova geração.

Transformando alunos em líderes

O empoderamento em sala é essencial para o entendimento de quais metodologias tecnológicas podem ou não funcionar para cada grupo. Os chamados “Power Pupils” surgem em uma educação moderna, na qual os especialistas apontam a observação de potenciais líderes para que sejam aliados e auxiliem em decisões mais assertivas e também atuem como agentes na promoção de mudanças sociais. Os pais também exercem um importante papel nessa busca, acompanhando filhos e filhas para evitar que suas únicas metas sejam sucesso acadêmico e profissional. O respeito às diferenças e a empatia deve se destacar nessa atmosfera, contribuindo para crescimento individual e coletivo do “líder” e seus colegas.

Os tais pupilos exercitam suas competências e também podem tocar seus próprios projetos, dentro e fora da escola. O Green Schools Project é um exemplo do que acontece quando os alunos estão engajados. Estudantes de seis anos da Manchester Creative and Media Academy fizeram uma auditoria na escola, seguindo o projeto supracitado, objetivando tornar o ambiente mais ecológico, observando o que funcionava ou não dentro desse ecossistema verde. Professores de outras escolas que também adotaram a iniciativa dizem que a sustentabilidade é apenas um dos lados. Esse vem acompanhado de habilidades sociais, comunicação e construção de confiança.

Empreendedorismo desde cedo

Ainda dentro do complexo mix em que é contemplado o ensino básico de uma instituição, entende-se que se deve formar cidadãos competentes e bem sucedidos. Ou seja, além de estudarem finanças, mercado e carreira, a cadeira “empreendedorismo” ofereceria mais autonomia e liberdade para as mentes jovens. Para tanto, as tecnologias podem ser amplamente aplicadas a atividades interdisciplinares, proporcionando o conhecimento teórico e a união prática entre as inúmeras áreas de uma empresa real.

Dentro de uma organização, os empreendedores também são bem vistos. Muitas vezes, são eles os responsáveis pela abertura de novos setores, busca de novas ideias, exploração de novos mercados. Esses todos são fatores que pesam na educação do mundo moderno e deveriam estar inseridos na sua raiz.

 

Sem comentários

Postar um comentário