Escolas se preparam para o novo momento da educação com inovação e tecnologia

Educação fora da caixa

 

Conheça instituições de ensino que empreendem na educação e conduzem o aprendizado por caminhos que vão muito além da lousa e do caderno.

Se um professor do século passado viajasse no tempo e entrasse em uma sala de aula tradicional de hoje, será que ele acharia o ambiente muito diferente do que está acostumado? Ainda tem lousa, giz, carteiras enfileiradas, anotações no caderno, lista de chamada… tudo conforme era há cem, duzentos anos. O grande conflito acontece ao se deparar com a cabeça dos alunos do século 21 e as demandas do seu dia a dia. Mais conectados e questionadores, os jovens precisam de novos meios de aprender e se preparar para o futuro.

Diversas escolas, no Brasil e no mundo, já identificaram a necessidade dessa mudança no sistema de ensino e buscam acompanhar a evolução humana.

“A sala de aula do século 21 não é mais aquele quadrado. Com as novas tecnologias o planeta é o espaço de aprendizado das pessoas” diz Simone André, coordenadora de Educação do Instituto Ayrton Senna. A entrevista faz parte do documentário Quando Sinto que Já Sei (2014) que mostra práticas educacionais inovadoras em escolas brasileiras.

inovação no ensino com tecnologia

Instituições de ensino que buscaram inovação já percebem resultados

O Centro de Ensino Guroo, atuante em Florianópolis desde 1989, visa uma proposta pedagógica que acompanha as mudanças tecnológicas, sociais e históricas. Para isso usa a tecnologia como forte ferramenta de educação. Na sala de aula são usadas lousas digitais, salas 3D, livros eletrônicos, revisões online e integração virtual entre pais alunos e professores.

“Nossa experiência foi muito rica a partir do momento em que direcionamos a escola para fora. Vimos conhecimentos amplos e totalmente conectados, uma tecnologia avassaladora, que a cada ano muda tudo e temos que pensar em como recomeçar a partir do que já temos, em um futuro cada vez mais incerto. Estamos preparando profissionais para profissões que talvez ainda nem existam” diz Lisiê Nolasco de Souza, diretora de marketing do Guroo para entrevista do Documentário TRANSformação (2017).

Como fruto de uma parceria entre a Telefônica, a Vivo e o Instituto Natura, em 2014 a Escola Municipal de Ensino Fundamental Campos Salles, de Heliopolis-SP, passou a receber internet de alta velocidade e laptops para alunos e professores. A partir daí começaram a explorar uma plataforma de gestão de aprendizagem online. De um lado, alunos envolvidos e interessados. De outro, professores se abrindo a novas experiências com o uso da tecnologia.

A distribuição das mesas nas salas de aula mudou: em círculos os alunos ficam mais integrados. Os estudantes passaram a se interessar e colaborar mais com a construção do conhecimento e os professores ganharam um novo papel. “Eu também aprendo, junto com eles. Parece que a cada novo roteiro estou produzindo uma obra de arte para o aluno. Isso me inspira” diz Eleine Cabral do Santos, professora do 7º ano da Escola Campos Salles, em entrevista para o vídeo Escolas que inovam (2015).

No Centro Universitário Internacional Uninter, a tecnologia foi o melhor caminho para democratizar o acesso ao ensino superior. A instituição oferece cursos de graduação e pós-graduação à distância, nos quais o aluno estuda sozinho ou em grupos com trabalhos práticos (realizados em casa, no polo de apoio presencial ou em ambientes interativos online), lê os materiais, usa tecnologias como aplicativos, softwares, simuladores, chats, e conta com o apoio de mediadores de aprendizagem.

Em alguns cursos, como Publicidade e Propaganda e Jornalismo, a solução que o Uninter encontrou para o aluno praticar o conhecimento adquirido nas videoaulas foi a distribuição de kits MyLab. Neste, o estudante recebe em casa câmera fotográfica, filmadora digital e gravador de voz. A empresa também fez uma parceria com a Adobe, que permite que os universitários acessem mais de 30 softwares gratuitamente, além da nova plataforma de armazenamento em nuvem – que possibilita que diversas atividades possam ser realizadas de maneira colaborativa entre os alunos e professores.

tecnologia e inovação na educação

Como inovar no modelo de negócio usando a tecnologia a favor do ensino

Metodologia de projetos, desenvolvimento de competências e adesão de novas tecnologias que facilitam o processo de aprendizagem, são alguns dos caminhos encontrados para construir um novo modelo educacional.

Sua instituição de ensino precisa inovar ou alavancar os resultados? Então fique ligado nessa grande oportunidade: a Mettzer e a ACATE – Associação Catarinense de Tecnologia – vão proporcionar uma experiência única de capacitação no programa de inovação para instituições de ensino.

Em sua 1ª edição, o Programa de inovação da ACATE Educação vai selecionar 15 instituições de ensino de todo o Brasil para acompanhar e orientar a implantação de um novo modelo de negócio. Durante três meses, com encontros quinzenais em Florianópolis-SC, serão realizados workshops e consultorias especializadas com profissionais renomados do mercado nacional.

A chance é para todos. Serão selecionadas as instituições de ensino com os melhores projetos de inovação, ou com maiores desafios em seus modelos de negócios atuais. As inscrições estão abertas até o dia 25 de fevereiro de 2018.

A educação é a invenção para transmitir, entre as gerações, a evolução humana. A instituição de ensino deve ser o espaço que favorece essa transformação. O início dessa mudança depende da decisão de gestores e educadores, de fazer e pensar diferente a cada dia.

inovação educação

 

1Comentário

Postar um comentário