Inteligência Artificial na educação: a aprendizagem ganha novos horizontes

Vivenciamos tempos digitais. O passo do progresso, na última década, acelerou vertiginosamente, impactando diversos setores da sociedade. A escola – um de seus principais pilares – não ficou à margem da evolução, e passou a abrir as portas para um número crescente de inovações. Entre elas, destaca-se uma que está gerando grandes expectativas: a Inteligência Artificial na educação.

 

Inteligência Artificial (IA) é a tecnologia que permite que máquinas tenham uma capacidade de compreensão similar à humana, e a use como base para a executar ações, como por exemplo responder a perguntas ou elaborar cronogramas personalizados de estudos.

 

O recurso amplia os horizontes do ensino e vai ao encontro das mudanças que estão acontecendo na educação neste século, entre elas o surgimento de métodos de aprendizagem disruptivos. O modelo “Rotação individual” é um exemplo, pois tem como  premissa o entendimento de que as pessoas não aprendem todas da mesma forma, e que o ensino deve ser personalizado conforme o perfil de aprendizagem de cada aluno.

 

O emprego da Inteligência Artificial na educação permite isso, e também possibilita que a jornada de estudos siga por caminhos não-lineares, conduzindo o aluno rumo ao objetivo proposto, mas sem que ele precise seguir um traçado reto de aprendizagem.

 

A Inteligência Artificial na educação já está acontecendo

 

O emprego da Inteligência Artificial na educação não é algo que ocorrerá no futuro, já está acontecendo hoje. Há sistemas em uso que já possuem a tecnologia, e representam os primeiros passos de um caminho sem volta.

 

Entre as iniciativas com IA está um aplicativo em fase experimental que permite que o aluno, ao se deparar com um texto que possui informações difíceis de entender, tire uma foto da página e receba links de vídeos e outros textos para ajudá-lo a entender melhor o conteúdo original.

 

Há também plataformas adaptativas que conduzem o estudante por trilhas de conhecimento individualizadas, de acordo com o potencial de aprendizagem dele. A ferramenta entende, por exemplo, se algum conceito anterior da matéria não ficou bem fixado para o aluno, e dá um passo atrás; qual tipo de erros ele costuma cometer; quanto tempo demora em média para realizar as tarefas; que atividades gosta mais de fazer; etc. Quanto mais a plataforma é usada pelo estudante, mais ela o compreende e personaliza o seu aprendizado.

 

Um outro exemplo de software que aplica Inteligência Artificial na educação é um robô que é adicionado por alunos no Facebook e passa a interagir com eles diariamente, fazendo perguntas baseadas em aulas anteriores. O bot utiliza linguagem semelhante à humana, e ela é personalizada de acordo com a faixa etária do estudante. O professor depois recebe um relatório com o desempenho dos alunos de sua turma.

 

Inteligência Artificial nas escolas vai além da aprendizagem

 

Além da parte pedagógica, a Inteligência Artificial também apresenta possibilidades para outros campos dentro das instituições de ensino, como por exemplo o da comunicação escolar. Nesse âmbito, a tecnologia pode ser empregada para atendimentos por chatbot, respondendo a questionamentos recorrentes de pais de alunos e público externo. Utilizado dessa maneira, o recurso é capaz de poupar tempo de profissionais da instituição e aumentar significativamente a produtividade deles.

 

Se esse uso impressiona, há outros que vão além, e dão o tom do quanto a tecnologia está avançada. Com Inteligência Artificial, escolas serão capazes até de “prever o futuro” e saber quantas matrículas deverão esperar para o ano seguinte. Não se trata de bola de cristal, e sim de um mecanismo chamado análise preditiva, que já está em desenvolvimento para instituições de ensino e se baseia em ocorrências passadas e presentes para antecipar cenários futuros.

 

Um outro emprego da Inteligência Artificial que em breve fará parte da realidade das escolas é o mapa de humor. Ele permitirá que as instituições tenham um profundo conhecimento do público interno e externo por meio da análise de interações. As escolas conseguirão saber, por exemplo, se os pais dos alunos estão se sentindo satisfeitos ou frustrados, se estão dispostos a mudar o filho de colégio, se há problemas no atendimento, etc.

 

Conclusão

 

A Inteligência Artificial, seja aplicada ao ensino ou a outras necessidades das escolas, é um avanço sem precedentes para as instituições de ensino. Sua chegada coroa o momento de transformação digital pelo qual o sistema educacional está passando, e mostra que, em um curto espaço de tempo, a educação é capaz de dar saltos gigantescos para o progresso.

 

Toda essa revolução digital nas escolas só é possível porque professores e gestores estão atingindo a compreensão de que o ensino e a própria instituição devem caminhar lado a lado com as mudanças e necessidades do mundo real, e que a antiga forma de se fazer as coisas não é mais aderente com ele. Essa consciência é essencial para que a evolução siga a passos largos, sempre desenhando cenários com possibilidades grandiosas.

Graziela Balardim

Graziela Balardim

Jornalista, pós-graduada em Produção Multimídia e Conteudista de Marketing Digital da ClipEscola.

Mais posts - Website

Sem comentários

Postar um comentário